27 de dez de 2010

O Luxo na Web

Olá a todos,

Estou ansioso para começar...acredito que a pesquisa é fundamental para maturamos nossa prática, e para mim o mercado de luxo é sempre uma incógnita: Como encontrar o estilo adequado?

Uma rápida passada no LuxMillionaire desta semana mostrou as "10 mais valiosas marcas de luxo", com a seguinte intro..."The wealthiest consumers in the world love to shop. They buy the top brands, the hottest fashions, and spend massive amounts on whatever they want. And lets not talk about fashion shows. The hottest fashion brands pay celebirites thousands of dollars to attend their shows, but the less-famous, wealthy few pay their own way into the hottest fashion shows across the globe. When it comes to fashion, the affluent are simply, hungry. These wealthy few crave fashion, live fashion, and breathe designer attire. Here are the top 10 most expensive brands in the world, in the markets of fashion, perfumes, jewelry, sunglasses, and more. Needless to say, their names do all the describing for the..."

Gucci - http://www.gucci.com/us/home
Chanel - http://www.chanel.com
Prada - http://www.prada.com
Armani - http://www.armani.com
Marc Jacobs - http://www.marcjacobs.com
Dior - http://www.dior.com
Guess - http://www.guess.com
Fendi - http://www.fendi.com
Versace - http://www.versace.com
Valentino - http://www.valentino.com

Que tal navegarmos com todo o glamour? No próximo post volto para filosofarmos ;)

20 de dez de 2010

O mercado de luxo...na web!

Eaí pessoal! Preparando os fogos?
Pensei comigo: acho que ainda dá tempo de fazer um último post neste fimdêano tão corrido, esperançoso, carregado de pixels e bytes.
Outro ponto que eu sempre pensei em pesquisar mas agora vai: O mercado (marcas) de luxo na web, como se comportam? similaridades? diferenças? tendências?
Vamos ver no próximo e derradeiro post de 2010! Me aguardem ;)

26 de nov de 2010

Sites Educacionais - Referências de Design

Após ter concluído a missão expedicionária pelos sites acadêmicos das principais instituições paulistanas, me recorreu a vontade de complementar com o que ficou faltando: Mostrar o que é bom. Novamente, se você conhece a famosa expressão "forma segue função", e leu os posts anteriores, acentuo que a preocupação com o "tipo" de visitante deve ser a principal direção quando falo em "aplicação artística" às interfaces, claro, somando usabilidade, ergonomia e tecnologia à experiência de navegar, consumir e compartilhar.

São dois os exemplos que gostaria de compartilhar: Full Sail University e Art Center College of Design. Então, como diz Big John McCarthy: "Let's get it on!"...


> Full Sail University, USA (Florida)















"Full Sail’s mission is to provide students with an innovative style of education – delivered by a staff of dedicated individuals – that addresses the career opportunities available in the ever-growing and constantly-evolving fields of entertainment media. " De fato, percebemos esta verdade ao chegar na home-page, com seu nível de ousadia e inteligência, proporcionando uma ambiência audiovisual muito rica, orientada por uma direção artística "na medida".

Perceba os tons cromáticos, o isolamento do logotipo, o menu principal onde "Programs" é o primeiro item, com desdobramento de camada ao mouseover, apresentando imediatamente uma resposta ao seu interesse com uma camada de sublinks devidamente separados em categorias pertinentes ao contexto.

A grande área de destaques que apresenta "Sportlight", "New", "Careers"...consegue de forma fotográfica e texto sintético, apresentar os maiores valores da instituição, e vende muito bem o interesse de lá estar e participar. Navegue, veja, toque! e me conte!


> Art Center College of Design, USA (Pasadena)



"A leader in art and design education, Art Center College of Design challenges students through a trans-disciplinary curriculum that explores socially responsible, creative and design-based solutions to real-world issues."

Com uma grande aplicação fotográfica durante todo o percurso, a navegação deste site se apresenta muito objetiva e sempre orientada por desdobramentos de links na mesma tela, permitindo uma rápida leitura, e não desgastando o interator em busca de informações.

Note a A.I. com os primeiros links visuais na home-page : Dotted Line Blog (link para blog), Student Profiles (!), Admissions, Gallery (!), Events (!) e Video Tour (!). Legal? Muito legal quando você clica em qualquer item e nota a valorização do seu click, como em Gallery. Vá em frente, experimente!

E então, podemos concluir que "Direção de Arte" é descartável, fundamental ou vital? Entre diferentes aspectos e formas de trazer resultados na web, você acredita que ela realmente faz diferença?

Sempre pensantes, assim é nossa peregrinação em busca de dias melhores. Obrigado pela leitura ;)

12 de nov de 2010

Panorama dos Sites Educacionais Brasileiros - Parte 3 Final

Continuando com o exercício de enxergar o lado crítico, mas também de entender novas possibilidades de trabalho digital, vamos finalizar os estudos com os próximos sites acadêmicos: Unicsul, Oswaldo Cruz, São JudasTadeu, Casper líbero, Fgv, Ibmec, Uniban e Faap.

> Unicsul: http://www.cruzeirodosul.edu.br

Apesar da interface buscar a redução do volume de informação, através das áreas distintas bem isoladas através de padrões visuais e cores, acaba pecando na navegação fragmentada e em muitos casos, seu clique sai do site, perdendo a continuidade e aderência de marca (vide pós-graduação).




> Oswaldo Cruz / http://www.oswaldocruz.br

Com o slogan "Muito além do diploma", não entendi se é proposta do "além", se está "longe" ou se está "acima". Não existe uma proposta visual de marca para o site, mas achei interessante o menu principal à direita (ergonomia), o box "empregabilidade" e um widget do twitter - ações que propõe uma aproximação.




> São Judas Tadeu: http://www.usjt.br/

Idem à instituição anterior, seu projeto de direção artística é nulo. Além disto, alguns pontos a considerar: menu horizontal no topo é frustante, pois poderia ter desdobramento de sublinks, a lateral "central de mídia" apresenta alguns ícones não-perceptivos, e há muitos hiperlinks textuais que não são agrupados em categorias-chave.




> Casper Líbero: http://www.casperlibero.edu.br/home/

Direção de arte nula. Parece muito com um daqueles casos que o site inteiro foi planejado pela equipe de TI, composto por 2 pessoas. Começamos pelo menu principal, o primeiro rótulo é "Cásper Libero" com seu primeiro sublink "Institucional". Depois, vejamos o menu lateral...o primeiro rótulo é "Faculdade" com seu primeiro link "Biblioteca". Ficou claro? Ano 2011, redes sociais, hipermídia, convergências...?




> Fgv: http://portal.fgv.br/

Notei a preocupação pelo degradê cinza logo no topo, está querendo me falar em gradação, somada com as fotos "originais" de alunos bonitos com seus ternos. Pecou: box "localizar cursos" precisa de um clique para começar. Campo de busca "fora de contexto". O pior é o volume de links avulsos no rodapé, desanimando qualquer interesse e curiosidade em descobrir algo por trás de tanta frieza. O mundo dos negócios é dinâmico?




> Ibmec: http://www.insper.edu.br/?gclid=CKzH8MTry6QCFYyRzAodRVJ7Dw

Direção de arte? nula. No topo temos o primeiro link "conteúdo". O que seria? Também temos um campo de "busca". Para quê? Novamente, no menu principal do topo, o primeiro rótulo "Institucional". Seria o site orientado a investidores? à imprensa? Acho que não.




> Uniban: http://www.uniban.br/portal/

Direção de arte? isso mesmo. O primeiro espaço óptico ao lado direito do menu: RA/RGF/SENHA/BOTÃO PEQUENO "OK". O que seria isso? É login de aluno? Novamente...o primeiro rótulo do menu à esquerda: Institucional. Note também o box no miolo à direita: "TV UNIBAN". O que temos? hiperlinks textuais. Vale registrar também o rodapé, completamente sem contraste para motivar qualquer clique.




> Faap / http://www.faap.br/

Direção de arte? Inexistente. Apesar de ser uma das mais tradicionais, falta muito em interface. Exemplo:No miolo, temos um rótulo "Novidade" com link "Conheça melhor a FAAP. Assista aos novos vídeos institucionais", totalmente fora de contexto e sem qualquer persuasão. O restante é similar.



Encerrando a missão, gostaria de agradecer a você que leu, e proponho uma reflexão: Quando tivermos a oportunidade, faremos diferente? Pense nisto ;)

27 de out de 2010

Panorama dos Sites Educacionais Brasileiros - Parte 2

Holla!

Voltando ao exercício de enxergar o lado crítico, mas também de entender novas possibilidades de trabalho digital, vamos direto espiar os próximos sites acadêmicos deste post: belas artes, espm, uninove e unicid.

Notadamente percebe-se a "pegada artística" na interface, com fundo pincelado trazendo uma idéia de liberdade criativa aliada à uma linguagem textual mais jovem, como prega sua missão que é "... criar, produzir e difundir conhecimento por meio das artes, da cultura e das ciências humanas e sociais, visando a formação humanística de seus alunos."

Mas...ainda está lá no cartesiano, nos boxes, na tipografia tímida e no baixo destaque visual para seu elemento mais importante (assim penso) : o aluno. Note o espaço dedicado (lembra da Missão?) aos trabalhos dos "seus". Ponto para o ba.blog que puxa a prática do compartilhamento coletivo.

Bom, eu esperava mais e acredito ser possível uma linguagem hipermidiática com forte apelo ao conteúdo espontâneo...afinal, estamos falando de uma escola, basicamente, geradora de idéias criativamente potenciais.



















Com a proposta de "ser reconhecidos nacionalmente como um centro de excelência (“Aqui se ensina a competir com competência”), fica praticamente comprometida a possibilidade de se acreditar (como se apresenta o menu em toda sua lateral esquerda) na seriedade desta renomada instituição. Ou foi muito boa outrora, ou o cuidado com esta importante (senão vital) ferramenta de relacionamento foi abandonada, desacreditada e desmerecida.

Vamos lá: Se você fala (ou pretende falar) com o Executivo, está "OK" um elemento mais sóbrio, aquele terno preto alinhado. Se você fala (idem) com um Descolado, está "idem" uma camisa megacolorida, um par de havaianas dourado, e um óculos Armani bem grande. Agora, misturar os dois universos em um mesmo corpo, é descrédito. Ou perda de fé!

Considerando ainda a (falta de) A.I. orientada a diferentes clientes "visitantes" e a navegação fragmentada, a maioria dos princípios elementares de design para web, falando em 2010, estão comprometidos. Não?! Navegue com vontade, e depois me conte.





Mais um belíssimo caso do caos. Me diga, porque eu, que quero simplesmente saber quando é o próximo vestibular para "Administração de Empresas", preciso ver 30 banners diferentemente diferentes e, claro, chamando meu clique desnecessário. Ah sim, o vestibular... encontrei! o da MEDICINA. :S

Sim, esse é um assunto de A.I., concordo, mas é impossível praticar a arte integrativa sem antes um planejamento facilitador, ou seja, tudo anda (ou inexoravelmente, andará) junto. Sobre o estilo, há uma preocupação fotográfica diluída em fotos de imagebank que, junto com o sonho azul, promove a paz e o sucesso, barato.



Diferentemente das outras abordagens profusas, aqui há uma preocupação melhor com o volume de pedestres selvagens que seu cadillac terá que desviar...se fosse um game com muito cinza e algumas laranjas.

Ainda com uma linguagem visual típica da década anterior, que destoa de seu projeto educacional onde "O modelo pedagógico adotado nos cursos de graduação segue uma postura inovadora e de vanguarda baseada no Saber, Saber-Fazer e Saber-Ser."



E aí gente, será que conseguimos absorver mais sobre a cena? Vale a pena mesmo desligarmos a emoção e sermos mais críticos? Podemos pensar em novos tipos de desenvolvimento, olhando as coisas? Acredito que "inovação" sempre vem depois de "observação", então agradeço você que leu! Até o próximo, valeu...

22 de out de 2010

Panorama dos Sites Educacionais Brasileiros - Parte 1

Como escrevi no post anterior, a idéia desta pesquisa é analisar brevemente como a Direção de Arte encaixa (e se) na interface das principais instituições acadêmicas daqui de Sampa, a partir de alguma aderência com a marca e seus valores. Outra coisa: sem propostas, somente levantamentos. Simbóra?

Pelo passar de olhos ao primeiro scrool, nota-se que o valor da "tradição e pioneirismo na Educação" é, de certa forma, representado pelo conceito de "portal" com imenso volume de links e rótulos que competem entre si e não orientam o interator a um caminho suave. Este modelo "tablóide", muito usado em formatos noticiosos, passa mais uma idéia de desorganização, onde as coisas são "jogadas" conforme vão aparecendo, em vez de um respeito ao planejamento e à arquitetura de informação pensada na entrega das maiores atividades desejadas por quem acessa o site. Serão alunos? Serão ex-alunos? Ou simplesmente um investidor? O fato é que, se o logotipo é vermelho, as cores estão ali: vermelho, e vermelho, e vermelho, em uma cama branca. Será um hospital? De fato, não. Mas pelo porte da instituição, faltou uma direção artística renovada para este novo século.























Está lá no site, item "Missão : O rigor na produção do conhecimento, o compromisso com a sociedade e a qualidade de ensino são os pilares da proposta educacional da Universidade."
Muito bem, entendo então que estão vivendo um momento "azul", onde é fácil sonhar na conquista de seu próximo diploma, que ali as pessoas se relacionam bem e a promessa de dias melhores é grata. Há uma abordagem fotográfica, os menus distintos são bem posicionados, temos rótulos, ícones, constrastes, diferenças de pesos tipográficos e, novamente, um volume incrível de conteúdo para seus olhos escolherem: direita? esquerda? ahiba? abaho?
Talvez, uma melhor condução óptica, planejada, poderia trabalhar efetivamente os pilares. O que é mais importante para o candidato ao vestibular?

















Ainda na largura de 760 pixels, fruto da época em que se projetavam interfaces para encaixar nos 800 x 600 de resolução padrão dos antigos monitores, o Senac parou no tempo. Até o logotipo ficou defasado, fora de forma, organicamente encurralado pelos quadrados... e com tantos outros itens "laranja" que gritam alto e não explicam o porque deste tom, no meio de tantos outros competidores pelo seu clique. Note o posicionamento do "campo de busca"...será que ele existe...para te ajudar a buscar algo? Porque vc buscaria algo neste site? Levando em consideração que o flash de destaques tem 10 (!) destaques, é bem provavel que vc até se encontre, depois de algum tempo.
De acordo com as palavras do Diretor Regional..."Tudo é organizado em estreita sintonia com as necessidades educacionais colocadas pela ênfase de desenvolvimento local, com excelência de instalações e equipamentos e expertise de nossas equipes pedagógicas" e "Está embutido nos valores professados pela marca Senac São Paulo o forte compromisso social da instituição". Você consegue encontrar estes valores neste site?

















Oba! sinto o cheiro de coisa boa...pelo menos no menu! De rápida resposta ao seu clique, ele funciona bem, apesar do verdão e o texto pequeno, do volume de links e da ordenação A>Z. Detalhe: resolução antiga, alinhamento à esquerda, uso desnecessário de flash. Tem uma ambiência mais limpa que os anteriores e até que pontua interessantemente em sua A.I., mas ainda poderia ter caprichado melhor, trazendo elementos de marca e o forte reconhecimento de seus cursos mais vanguardistas.














Como já era esperado, estas instituições tem um grande desafio: sintetizar o imenso volume de conteúdo que é produzido diariamente, apresentando de forma inteligente e respondendo as principais perguntas para CADA TIPO de visitante.
A arte pode ser um grande aliado, trazendo suporte para o conteúdo, melhorando a navegação e trazendo felicidade em lá estar.
No próximo post vamos conhecer outras instituições! valeu ;)

12 de out de 2010

Panorama dos Sites Educacionais Brasileiros

Há muito tenho despertado interesse para compreender melhor quais os critérios visuais e ergonômicos, que orientam as instituições de ensino superior na criação de seus websites. Já tive necessidade, várias vezes, de buscar informações sobre cursos que tinha interesse, e além do aspecto puritano "forma x função", em muitas delas senti uma enorme dificuldade em navegar, encontrar, guardar e compartilhar.

Longe de aprofundamentos técnicos e nano-detalhistas, acredito que este cenário web representa muito do que temos em saula de aula: o compromisso com transparência e feedback. Ou seja, o "faça o que eu digo mas não faça o que eu faço" é latente. Para este primeiro laboratório, separei as instituições em duas principais categorias: Privadas e Públicas.

Sendo brasileiro e conhecendo a dificuldade de se conseguir uma vaga universitária pública (na prática), vamos então à primeira delas, quatro em cada post, na seguinte ordem:

> mackenzie / http://www.mackenzie.br/
> puc / http://www.pucsp.br/
> senac / http://www.sp.senac.br
> anhembi-morumbi / http://portal.anhembi.br/index.html
> belas artes / http://www.belasartes.br/
> espm / http://www.espm.br/ConhecaAESPM/Pages/default.aspx
> uninove / http://www.uninove.br/Paginas/Home.aspx
> unicid / http://www.unicid.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home
> unicsul / http://www.cruzeirodosul.edu.br
> oswaldo cruz / http://www.oswaldocruz.br/
> são judas tadeu / http://www.usjt.br/
> casper líbero / http://www.casperlibero.edu.br/home/
> fgv / http://portal.fgv.br/
> ibmec / http://www.insper.edu.br/?gclid=CKzH8MTry6QCFYyRzAodRVJ7Dw
> uniban / http://www.uniban.br/portal/
> faap / http://www.faap.br/

Faltou alguma? Bom, enquanto isto, que tal escolher a(s) sua(s) e ver com seus próprios olhos, antes que os meus começem a controlar os dedos no próximo post? ;)

15 de set de 2010

Arte à Mobilidade: Entrevista com Ricardo Ogliari

Na semana passada estava conversando com meu colega de pós-graduação, Ricardo Ogliari (foto abaixo), um dos profissionais mais respeitados da nova geração em tecnologia mobile. Falávamos sobre tendências criativas para interfaces de celulares, e resolvemos oficializar este bate-papo em forma de entrevista. Ricardo, vamos então falar tudo para o mundão?


















== Por favor, apresente suas credenciais para o pessoal!

Meu nome é Ricardo da Silva Ogliari, sou formado em Ciência da Computação pela Universidade de Passo Fundo, pós-graduando em “Web: Estratégias de Inovação e Tecnologia”, pelo SENAC-SP. Trabalho na Navita, criando aplicativos para a plataforma BlackBerry, além de estudar outras tecnologias, como o Android, para futuras aplicações.
Comecei a trabalhar com programação logo no início da faculdade, obtendo uma bolsa em um estágio acadêmico. Viajei pela programação desktop e web, porém, quando me deparei com o mundo da Computação Móvel, não quis saber de outra coisa. Desta época em diante, tenho utilizado diferentes plataformas móveis, como Java ME, RIM, Android, Bada e outras, no meu ambiente de trabalho. E hoje, a convite do Ale, vou falar um pouquinho sobre mobile e criação de arte.

== Como você tem percebido a evolução da comunicação digital através dos aparelhos móveis?

Para mim, os aparelhos móveis são quase análogos à comunicação digital, pois permitem que pessoas estejam em sintonia independentemente de cabos e/ou localização geográfica. Porém, sabemos que as redes de telefonia no Brasil ainda não se equiparam as redes do Japão e Estados Unidos, por exemplo. Mas é inegável que a forma de se comunicar de todas as pessoas do mundo, até mesmo países mais pobres, sofreu grandes mudanças com o advento dos aparelhos móveis.
O próximo passo é transpor a cultura da maioria da população, que ainda enxerga seu smartphone com 500mhz de processamento, como um equipamento que serve apenas para efetuar e receber ligação. Ah, e enviar torpedos SMS também. Mas acredito que a chamada “geração Y” e o aperfeiçoamento das interfaces de usuário dos dispositivos móveis, vão arrebentar estas correntes.

== A integração social hoje é ampliada pela web, você acredita nisto?

Essa é uma questão controversa e muito delicada.
A integração social pode ser ampliada a níveis impressionantes com o uso da web e da mobilidade. Pessoas que se encontram em lados opostos do mundo podem ser amigas e confidentes, mesmo sem nunca trocar um aperto de mão ou um abraço pessoalmente. Além disso, a web faz com que seus amigos estejam disponíveis quase que 100% do tempo.
Mas existe o lado oposto. Já ouvimos falar, e muito, em exclusão digital. Apesar de estarmos na era da informação, algumas pessoas ligadas a tecnologias podem ficar cegas pelo seu ambiente diário, e não enxergar que a maioria das pessoas no mundo ainda não tem acesso a internet.
Mas, finalizando, acredito que o primeiro ponto citado aqui vai sobrepor o segundo, e, a internet será a mola que regira as relações sociais do futuro.

== Com a chegada de novos aparelhos e formatos móveis, o designer de interfaces pode ser promovido à diretor de arte? Existe uma demanda a criações mais ricas?

Com certeza, já em 2006 participei de alguns projetos mobile em que a equipe de direção de arte estava diretamente envolvida. Todas as imagens, arquitetura da informação das restritas telas dos dispositivos móveis e homologação do layout era feita pela equipe de artes.
De lá para cá essa tendência se acentua gradativamente. Hoje em dia, é muito comum as equipes de desenvolvedores de aplicativos mobile trabalharem em perfeita sintonia com a área de criação dentro de uma empresa. Isso se deve principalmente a mudança de hardware e sistema operacional destes equipamentos. Antigamente, o processo era muito restrito, hoje já temos processadores muito melhores, além de telas maiores e com mais cores (iPhone e Android).

== É possível apontar uma direção de futuro para este cenário?

Apontar um futuro em mobilidade é extremamente perigoso. As coisas mudam, evoluem, se renovam, empresas se fundem, plataformas nascem e morrem a todo instante. Dois exemplos bem atuais: a Palm foi a grande precursora dos PDA´s, porém, a pouco tempo foi vendida para a HP. A Nokia era líder indiscutível, com o avanço dos smartphones está perdendo bastante espaço, e uma nova tríplice se formou: Android, iPhone e RIM (talvez Windows Phone agora) .
Mas pelo menos um ponto é certo, concreto, irreversível: a convergência. Hoje temos tecnologia da informação na quase totalidade dos dispositivos eletrônicos. Temos casas digitais, temos automóveis com o sistema operacional Android. Temos relógios que se conectam com chips subcutâneos, dentre outros. Todas essas tecnologias estão e irão convergir totalmente, criando um mundo totalmente novo.

== E para quem quiser falar contigo...

Podem me encontrar no meu email: rogliariping@gmail.com
Também mantenho meu blog: www.mobilidadetudo.com. Twitter @mobilidadetudo.
Sou co-fundador do Java Móvel: www.javamovel.com
Meus artigos estão disponíveis em http://issuu.com/ricardoogliari e http://www.slideshare.net/ricardoogliari.

Além disso, podemos nos encontrar em algum evento de nerd que acontece por aí.


== Tá falado!! Obrigado a você e a você que leu ;)

30 de ago de 2010

Cyber Cannes : Brasil e seus finalistas, parte III final

Hail!

No post anterior vimos mais trabalhos brasileiros digitais na 57ª edição publicitária Cannes Lions, que apresentou a nata da web mundial. E agora, vamos a último round?

"Love", da DM9DDB para Fedex // Incrível banner "rich media" com o slogan "Cada encomenda tem uma história". Em tempos de "O contexto é rei", nada mais magnético para uma marca do que a história de como se envolve com os fãs.















"Mundo Admirável", da JWT para Ford Edge // "Aventure-se pelo mundo novo da exclusividade". É assim que me senti ao visitar esta gigante hipermidiática em forma de website, com todos os elementos extremamente bem planejados e orquestrados, trazendo em cada interação principal uma abordagem simbólica, ao ato de dirigir um Ford Edge, pela suas principais características. Seja dirigindo um caça russo, esquiando no fim do mundo, voando de balão ou outras fantásticas experiências que, além de conhecer detalhes do carro, você terá uma imersão cultural. Sem dúvida, um dos sites mais bonitos, bacanas e inteligentes que vi recentemente. Bravo!!!!













"Dia Estranho", da JWT para Ford Ranger // Outro estupendo trabalho interativo que empurra a abordagem narrativa para a venda de automóveis. Você pode se perguntar: "Que tipo de consumidor teria tempo para ver uma animação, em vez de detalhes e preços da nova ford Ranger 2010?". Eu te digo: O mesmo cliente que prefere viajar o mundo, conversar com pessoas diferentes e absorver o multiculturalismo, em vez de ir sempre para a Disneylandia todo ano. Ponto também para a D.A. naif, traços originais e um trabalho iconográfico maravilhoso.













"Preferências", da AlmapBBDO para Volkswagen // Ação de email-marketing (peça abaixo) que convida o cliente a baixar .zip intitulado "reasonXemotion". Ao abrir arquivo .xls contido, vc percebe a sacada da brincadeira proposta (peça mais abaixo).




























É isso aí pessoal! valeu pela leitura e espero trocar mais figurinhas com vocês em breve, ;)

26 de jul de 2010

Cyber Cannes : Brasil e seus finalistas, parte II

Salve a todos!

No post anterior falamos e pincelamos sobre a participação brasileira na 57ª edição publicitária Cannes Lions, e as peças que representam o melhor em criação e d.a. contemporânea aplicados no meio digital.

Vamos pincelar mais sobre os outros projetos:

"Xixi no Banho", da F/Nazca S&S para SOS Mata Atlântica // Com uma temática audiovisual 100% focada em ilustrações de linguagem infantil, a idéia é conscientizar a população sobre o ato de fazer xixi no banho, e como ele ajuda o meio ambiente. FuN! FuN! Atenção ao nível de detalhe das animações.














"Fox Dentro e Fora" , da AlmapBBDO para Fox, Volkswagen // Grandes sacadas na interação e modelagem 3D. Este hotsite quebra o padrão na apresentação on-line de carros, e reforça o conceito de inovação reconhecida do novo Fox.














"Banner Perfumado", da ID\TBWA para Kaiak, da Natura // Outro exemplo incrível de integração real + virtual que todos queremos. A D.A. traz a percepção da marca, mas vale ressaltar também o objetivo de negócio.






















Valeu? no próximo post finalizamos o quadro ;)

7 de jul de 2010

Cyber Cannes : Brasil e seus finalistas

Neste post gostaria de compartilhar com vocês minhas impressões rápidas sobre a participação brasileira na 57ª edição publicitária Cannes Lions, que consagrou nossa fantástica AlmapBBDO como, nada mais, nada menos, pela 2ª vez, a MELHOR agência de 2010. Parabéns caras, foram para cima mesmo e mostraram como se briga.

Vale lembrar, o Brasil se torna o maior vencedor da história do prêmio, estabelecido em 1993. Até agora, o Reino Unido também havia vencido cinco vezes - em 2002 e 1996, com a Saatchi & Saatchi; em 1995 com a Loe Howard-Spink e em 1994 e 1993, com a Bartle Bogle Hearty. Este ano o Brasil teve uma performance inesquecível em Cannes. Bateu seu recorde em número de Leões: levou 57 nas 12 categorias. Em Outdoor, nada menos do que 21 troféus. E a Almap ainda levou o Grand Prix em Press. (fonte: http://mmonline.com.br/).

Disto isto, vamos olhar as peças que representam o melhor em criação e direção de arte contemporânea aplicados no meio digital.

"Uma coisa leva à outra", da AgênciaClick para Doblò 2010, da Fiat. // Um bom exemplo onde se justifica plenamente o uso do flash e a participação efetiva do público-alvo/consumidores, tornando o website um azul positivo que vai além do "ser apenas" mais um canal dinâmico.














"Rifo meio Fuca", da F/Nazca S&S para Unibanco. // Aqui a blog-narrativa puxa os webstandards e aplicações visuais mais pontuais...neutralidade, tipografia latente, conexão com aplicativos sociais e concentração de linguagem ao público-alvo.














"Doe palavras", da RC para Instituto Mario Penna de Oncologia. // Conceitualmente este, na minha opinião, foi arrasador. Novamente uma direção de arte minimalista, foca no que reamente interessa: ambiência da simplicidade, tão simples como desejar o bem. Ponto alto para a integração virtual + real para a transmissão das mensagens...que idéia!!!!!














Vale para pensar como a web te dá oportunidades de comunicação praticamente infinitas. E amanhã, o que faremos com ela? Continuo este post em breve, obrigado pela leitura! ;)

21 de jun de 2010

Invista no Grid e monte sua seleção

Salve seleção! Vai Brasil!

Depois destes 3 tentos disparados contra a seleção da Costa do Marfim, e quando você ainda consegue ver "por cima" a jogada tática do Brasil, fica muito mais interessante pensar como a disposição dos elementos gráficos no "lay-out" é importante (senão vital) para o sucesso do seu jogo.

Neste sentido gostaria de compatilhar com vocês o excelente livro que acabei de ler sobre Grid chamado "Making and Breaking the Grid: A Graphic Design Layout Workshop", por Timothy Samara.

Além de uma rica introdução sobre a história do design e como este elemento construtivo foi pensado, aplicado e amadurecido por diversas mentes, mãos e trabalhos realizados, é engraçado relembrar que ele sempre esteve ali...em todos os meus, nossos, seus trabalhos, desde o primeiro.

Mas o interessante aí, pelo menos para mim, é pensar que ele pode ser mutante na web, que em cada nova página, cada nova interação, ele pode permitir um novo caminho e conduzir seu jogador "navegador" por sentimentos e toques em busca de novas funções, se a fuga do padrão for uma das diretrizes. Pense, em cada interface, o que você deseja que seu jogador faça...será que você quer mesmo que ele clique, ou que ele feche? Que ele passe a bola? ou que marque sozinho?















Com muito trabalhos "top de linha" expostos e comentados, a amplitude de referências que incitam novos pensamentos de lay-out é uma grande e boa surpresa e, sem dúvida, pode ajudar a montar melhor o próximo "pixel team" :) E você, pensa antes no grid?

28 de mai de 2010

A Síntese do Estilo Visual : Expressionismo

Oba! voltando a falar sobre direção de arte na web, desta vez sobre um estilo que pode ser considerado por muitos como "o contrário" de um design racionalista e bem planejado, mas que inegavelmente, propõe um combate ao tédio e à famosa "fuga do lugar comum". Vale lembrar e deixar claro que, primeiro, estilo é diferente de "design" e, segundo e não por último, arte e design juntos são sempre bem-vindos.

Bom! Você provavelmente já deve ter visto esta tela famosa de Edvard Munch (imagem abaixo), intitulada "The Scream", onde o traço distorcido, o uso agressivo da cor, a dinâmica da pintura e a temática meio depressiva fazem sua constituição. E ah! a infidelidade visual também é verdadeira...parece que foi jogado um banho de ácido (lsd) na coisa toda. :0























Quando falamos em distorções da realidade, em informações escondidas, em expansão mental e revelar o oculto, que tipo(s) de interface veêm em sua cabeça? Bem, na minha estão duas, bem recentes e muito interessantes vindo da web brasilis, apresentadas em flash full-screen com excepcionais recursos multimídia imersivos.

Nestlé Fast













Concurso Torcida Skol













Deixo a fruição e as comparações expressionistas para você desvendar e pensar que, no seu próximo projeto web, a arte pode estar presente. Mas, qual o estilo? :)

24 de mai de 2010

Recicle suas Idéias!

Neste post, dedici apertar o pause para te convidar a ser criativo também na hora de trocar seus equipamentos. Afinal, desperdiçar menos, reduzir o consumo, reciclar o que não aproveitamos e reaproveitar o que utilizamos são atitudes inteligentes para melhorar nosso mundo.


















Aqui na Barra Funda/SP, a prefeitura de São Paulo inaugurou recentemente a COOPERMITI, com a nobre tarefa de receber seu lixo eletrônico e dar a destinação devida.

Caras! e não é que hoje levei meu aparelho de dvd (queimado...), e ainda dei uma entrevista para a TV Câmara. Sensacional! :)

Interessado em colaborar?
11 3666.0849
www.coopermiti.com.br

5 de mai de 2010

Falei com Amyris Fernandez, sobre Design de Interação

Na semana passada, tive o prazer de papear rapidamente com a Amyris Fernandez, renomada profissional da área de Design de Interação e Usabilidade, e professora de Design de Interação, da Pós latu-sensu "Inovação Web", ministrada pelo SENAC/SP. O curso é novo, abrangente e dita tendência na formação de novos profissionais, neste cenário globalizado da comunicação digital.















Então, vamos lá:

1- Amyris, como tudo começou?

"Tenho 28 anos de experiência profissional. 15 dedicados a marketing tradicional e 13 a mídias digitais. Eu trabalhava no desenvolvimento de novos produtos na Natura quando conheci a Internet, me apaixonei, larguei tudo e fui fazer um mestrado em comércio eletrônico nos Estados Unidos. Voltei e comecei a trabalhar em agências digitais e dar aulas. Abri minha empresa de usabilidade em 1999, praticamente ao mesmo tempo que voltei pro Brasil. Em 2000 resolvi aprovar meu diploma estrangeiro aqui, mas estava demorando tanto que resolvi fazer um novo mestrado. Comecei em 2003 e em 2004 me mandaram para o doutorado direto. Fiz sanduíche na Dinamarca em games. Minha tese é sobre jogabilidade de games em celulares."

2- O que você tem percebido do mercado brasileiro?

"Acho um mercado vibrante. Deve explodir nesses próximos 5 anos. O investimento publicitário em mídias digitais cresce 30% há dois anos. Vai faltar profissionais treinados!"

3- Algum(ns) exemplo(s) interessante(s)?

"Há muitos exemplos, mas recentemente nosso trabalho ajudou muito o pessoal da Saraiva e do R7, além aplicativos de mobile e multitouch para bancos também."

4- Obrigado! Contato?

Amyris Fernandez - 11 8122 1723, amyris@gmail.com

21 de abr de 2010

A Síntese do Estilo Visual : Primitivismo

De acordo com nossa querida Wikipedia, o estilo chamado Primitivismo nada tem a ver com arte de povos primitivos como os Flinstones, mas pode ser referenciado pela "pintura primitiva ou arte naif, produzida por artistas com pouco ou nenhum conhecimento técnico, e que se caracteriza por uma certa ingenuidade artística, de temática ligada à cultura popular."

Pontuando...Naif é uma palavra francesa, derivada do latim "nativus", significa "nativo", no sentido de original, natural, nato, e adquiriu com o passar do tempo muito uso no meio artístico, virando uma etiqueta, um estilo de arte.

Em 2008 tive a oportunidade de participar da "9ª Bienal Naifs do Brasil", a mais importante mostra de arte popular brasileira, realizada pelo SESC/SP, enfatizando a arte espontânea, colorida, regional, humana, instintiva e profundamente verdadeira, de artistas/autodidatas até então desconhecidos do grande público, indepentendente dos critérios de mercado.

Telas, fotografias, esculturas, materiais diferenciados e variadas técnicas compuseram um panorama de estilos, símbolos e códigos da cultura brasileira, como algumas obras abaixo:















O Pacto, J. Murilo. MG, 1936.













Casamento II, João Alexandre Sarti. SP, 1970
















Exposição, Cícero Angelo da Silva. PE, 1954.

Na hora de pensar sua direção de arte, é fundamental defender o estilo. Cada um é único, tem sua própria vida e leitura. E você, qual o seu estilo?

13 de abr de 2010

15º Encontro de Design e Tecnologia / SP

Neste final de semana passado, tive a oportunidade honrosa de participar junto com a galera da Triarts New Media, do 15ª EDTED (Antigo EWD), realizado pela Artecomm, que a cada ano me surpreende com palestras e workshops muito bons.


















Iniciando com "cores na web", passando por "publicidade em vídeo", seguindo a "perfil do profissinal digital," e encerrando em grande estilo com "como vender design" pelo mestre e profeta Luli Radfahrer (sempre excelente :)), no mínimo deu para perceber que a web, e toda a sua comunicação digital confluente, não está mais "só começando". Mesmo.

31 de mar de 2010

A Síntese do Estilo Visual

Para falarmos com propriedade sobre direção de arte para a web, seria adequado antes entendermos o significado da palavra “Estilo”, que nada mais é do que a síntese visual (isso! visual mesmo) de elementos, técnicas, sintaxe, inspiração, expressão e finalidade básica. Eu sei, nós sabemos, é complexo e difícil de descrever com transparência.

Por exemplo, as diferenças entre a arte ocidental e a oriental são as convenções que as regem...uma é mais flexível e outra mais rígida e, de modo geral, remetem à cultura e o modo natural de se fazer as coisas. Assim, dar nome ou rótulo a uma escola ou expressão visual é uma grande conveniência histórica para facilitar a identificação e a referência, mesmo que seja absurdamente fragmentada como a música eletrônica contemporânea se apresenta, por exemplo.

Estilos como o Primitivismo, Expressionismo, Classicismo, Ornamental e a Funcionalidade serão abordados no próximo post, que pelo bem será motivo de minha próxima palestra.

8 de mar de 2010

Viva a democratização da televisão!

Tenho pesquisado e notado o avanço da comunicação audiovisual na web, e aí o ponto (na verdade a linha) que gostaria de te falar (na verdade, escrever)... se refere aos Canais do youtube que são verdadeiros "canais de tv interativa" contemporâneos, onde se explora diferentes conversações e convites à venda de produtos e serviços. Exemplos? Vamos a dois diferentes e interessantes: Sony Ericsson e ELLE Magazine.

> Sony Ericsson
Aqui vemos possibilidades complementares para mostrar os produtos em uso, bastidores de desenvolvimento e feedbacks de clientes emocionalmente envolvidos. Note o trabalho de direção artística do canal e as características de navegação diretamente visuais e de rápida resposta. Eles já tem mais de 3.000 fãs inscritos que adoram ver e interagir com propostas/conteúdo como este :)!












> ELLE Magazine
The ultimate resource for the fashion insider...de fato! Perceba a elegância aderente à comunicação da revista impressa, e a vitalidade do complemento de conteúdo proporcionado pela internet que, como já muito discutido neste mercado, é oposta à canibalização da mídia principal.
O que uma revista veterana e com tantos seguidores do mundo da moda poderia ter neste novo século, além de um canal próprio de tv interativa 24/7 ? Ah, veja no destaque mais abaixo um discreto convite :()

























O que fica como percepção ativa para nós designers e diretores de arte? Para mim, fica aqui o começo de um sem fim de possibilidades de pesquisa e mercado, dirigidos a novas interfaces audiovisuais com foco na democratização de conteúdo pois, do lado consumidor (pelo menos) ninguém mais hoje aguenta ligar a tv e só ver o que não quer...verdade?

Até a próxima, sempre.

7 de jan de 2010

Abraham Palatnik e os fundamentos da hipermídia

Aos amantes da arte eletrônica como este que vos escrever, recomendo de todo o coração sua visita à exposição "Ocupação Palatnik", no Itaú Cultural em São Paulo. Pioneiro da arte cinética, o brasileiro filho de judeus Abraham Palatnik apresenta 21 obras que se mexem em engrenagens mecânicas e percorrem sua carreira desde 1940, época em que o mundo avançado já respirava o concretismo alemão.






















Principalmente em seus "objetos cinéticos" podemos encontrar, bem ali, a semente do que vemos hoje na web: a arte viva no tempo-espaço dinâmico, pedindo a participação do antigo espectador passivo em busca de uma conexão poética entre o real e o virtual. O design, a tecnologia, o movimento, as formas distintas e coloridas, o áudio, intertextualidade, hibridismo, coletivo se amalgamam e constroem um diferente nível de percepção artística.















Lavoisier em uma bela noite inspiradora, em algum bar com seus amigos, disse que "Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma"...pois acredito tanto nestas sábias palavras que digo: Salve Palatnik! o (um) precursor da hipermídia.

5 de jan de 2010

Feliz 2010 com ROI para você!

Salve salve! Mas nem chegou janeiro e vc já pensa no Carnaval? :)

Ah ok, entendi, concordo com você...claro que não, antes de merecermos mais esta bonificação sagrada vamos ao que interessa efetivamente: novos e aspirantes projetos web, da assinatura, suor, passando pelo din din e chegando no Veuve Clicquot em coletivo.

Mas...e o ROI? Vc viu ele por aí, na praia ou manifestando interesse em participar deste "acometimento" glorificado? Bom... o "difícil de aplicar e fácil de entender" Return of Investment é mais do que apreciado por quem compra, e menos prometido profissionalmente por quem apresenta. Certo?

Sejamos sinceros...antes da criação, da arte, do html, do mysql, do flash e toda a grande família aí já embutida, o webmarketing com ROI é fator fundamental de um projeto sério e compromissado com o desenvolvimento em real parceria com o cliente.

Vamos falar, e comentar (por favor!) no próximo post, porque a web e sua direção de arte... em meu humilde blog... simplesmente, precisa de você! ;)