27 de out de 2010

Panorama dos Sites Educacionais Brasileiros - Parte 2

Holla!

Voltando ao exercício de enxergar o lado crítico, mas também de entender novas possibilidades de trabalho digital, vamos direto espiar os próximos sites acadêmicos deste post: belas artes, espm, uninove e unicid.

Notadamente percebe-se a "pegada artística" na interface, com fundo pincelado trazendo uma idéia de liberdade criativa aliada à uma linguagem textual mais jovem, como prega sua missão que é "... criar, produzir e difundir conhecimento por meio das artes, da cultura e das ciências humanas e sociais, visando a formação humanística de seus alunos."

Mas...ainda está lá no cartesiano, nos boxes, na tipografia tímida e no baixo destaque visual para seu elemento mais importante (assim penso) : o aluno. Note o espaço dedicado (lembra da Missão?) aos trabalhos dos "seus". Ponto para o ba.blog que puxa a prática do compartilhamento coletivo.

Bom, eu esperava mais e acredito ser possível uma linguagem hipermidiática com forte apelo ao conteúdo espontâneo...afinal, estamos falando de uma escola, basicamente, geradora de idéias criativamente potenciais.



















Com a proposta de "ser reconhecidos nacionalmente como um centro de excelência (“Aqui se ensina a competir com competência”), fica praticamente comprometida a possibilidade de se acreditar (como se apresenta o menu em toda sua lateral esquerda) na seriedade desta renomada instituição. Ou foi muito boa outrora, ou o cuidado com esta importante (senão vital) ferramenta de relacionamento foi abandonada, desacreditada e desmerecida.

Vamos lá: Se você fala (ou pretende falar) com o Executivo, está "OK" um elemento mais sóbrio, aquele terno preto alinhado. Se você fala (idem) com um Descolado, está "idem" uma camisa megacolorida, um par de havaianas dourado, e um óculos Armani bem grande. Agora, misturar os dois universos em um mesmo corpo, é descrédito. Ou perda de fé!

Considerando ainda a (falta de) A.I. orientada a diferentes clientes "visitantes" e a navegação fragmentada, a maioria dos princípios elementares de design para web, falando em 2010, estão comprometidos. Não?! Navegue com vontade, e depois me conte.





Mais um belíssimo caso do caos. Me diga, porque eu, que quero simplesmente saber quando é o próximo vestibular para "Administração de Empresas", preciso ver 30 banners diferentemente diferentes e, claro, chamando meu clique desnecessário. Ah sim, o vestibular... encontrei! o da MEDICINA. :S

Sim, esse é um assunto de A.I., concordo, mas é impossível praticar a arte integrativa sem antes um planejamento facilitador, ou seja, tudo anda (ou inexoravelmente, andará) junto. Sobre o estilo, há uma preocupação fotográfica diluída em fotos de imagebank que, junto com o sonho azul, promove a paz e o sucesso, barato.



Diferentemente das outras abordagens profusas, aqui há uma preocupação melhor com o volume de pedestres selvagens que seu cadillac terá que desviar...se fosse um game com muito cinza e algumas laranjas.

Ainda com uma linguagem visual típica da década anterior, que destoa de seu projeto educacional onde "O modelo pedagógico adotado nos cursos de graduação segue uma postura inovadora e de vanguarda baseada no Saber, Saber-Fazer e Saber-Ser."



E aí gente, será que conseguimos absorver mais sobre a cena? Vale a pena mesmo desligarmos a emoção e sermos mais críticos? Podemos pensar em novos tipos de desenvolvimento, olhando as coisas? Acredito que "inovação" sempre vem depois de "observação", então agradeço você que leu! Até o próximo, valeu...

Um comentário:

  1. Parabéns pelo post! Gostei muito e concordo em grande parte!
    Um abraço, Gustavo Fernochi!

    ResponderExcluir