2 de jul de 2009

Arte Minimal ou Minimalismo? Voltando...

Se o design sempre estreitou com a arte e soube relacionar características e funções dos principais movimentos como uma intrínseca necessidade evolutiva, então para nós profissionais, discutir as semelhanças conceituais acaba, no mínimo, sendo um exercício interessante quando pontos em comum são nitidamente encontrados. Vejamos nas obras de importantes artistas americanos da arte minimal como...

] Donald Judd / Untitled - 1979














] Carl Andre / Equivalent VIII - 1966



















] Sol LeWitt / Cubic-Modular Wall Structure, Black - 1966



















O que estes trabalhos tem em comum? Cada um é uma composição tridimensional relativamente simples: todos são baseados num formato quadrado, cúbico ou retangular. Notamos o monocromático, o cartesiano, é direto, se integra facilmente com seu redor, há um respiro enorme em volta, se instalam, nenhum destes trabalhos está emoldurado ou manipulados para parecer algo que não são, há também uma percepção de ausência de vida, ou "frieza", além de uma repetição de “caracteres” que se conjugam e formam uma nova unidade maior, um parágrafo ou um capítulo inteiro, metaforicamente falando...agora nas interfaces de duas agências de design, vejamos:

] Postmachina / Amsterdam










] Sisson Studio / Brasil











Reduzindo a carga de informação visual adicional e focando na objetividade material do conteúdo, podemos encontrar uma relação. Ou não? Mais exemplos aqui :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário